Salvia (Salvia officinalis L.) e osmarim (Helichrysum italicum G.Don f.)

by 06:03:00 0 comentários


Vamos falar de aromas? Minha horta caseira tem vários temperos, afinal, aromas e sabores diferentes me encantam e estes dois, particularmente, conferem qualidades muito interessantes aos pratos, além de conterem propriedades medicinais.

Origem: A sálvia pertence à família botânica Lamiaceae e o alecrim é uma Asteraceae, ambos oriundos do mediterrâneo. Devido à grande capacidade de adaptação, atualmente as duas espécies são cultivadas em quase todo o mundo.
Sálvia (Salvia officinalis L.), as folhas ficam mais prateadas quando a planta é cultivada no sol.
A sálvia tem uso bastante antigo. Os romanos acreditavam em vida longa para aqueles que possuíam sálvia no jardim. Era presença obrigatória nos hortos medicinais dos curandeiros e boticários da idade média. O nome sálvia tem origem no latim e significa “sanar”, atribuído exatamente por suas propriedades medicinais. Planta arbustiva, de 50-80 cm de altura, folhas alongadas, ovaladas, de cor verde-prateado ou acinzentada, muito aromática.

Osmarim (Helichrysum italicum G.Don. f.)
O osmarim ou curry-europeu tem presença obrigatória nas casas dos descendentes italianos e franceses aqui no Brasil. Conhecido também como rosmarim e por vezes confundido com o alecrim (Rosmarinus officinalis L.), pela semelhança entre as plantas e denominação científica, levando muitas pessoas erroneamente a considerar que ambos são da mesma espécie. Os franceses chamam o osmarim de immortelle, matéria-prima do famoso óleo de immortelle, usado nas indústrias de perfumaria, farmacêutica e produtos naturais. Este nome se deve às suas flores que “nunca morrem” (sempre-vivas). Aqui no Brasil, nunca vi esta planta florida, mesmo aquelas cultivadas por muito anos, possivelmente, devido às diferenças climáticas com seu local de origem, no mediterrâneo.

Usos: As duas espécies são largamente utilizadas na produção de óleo essencial para a indústria de aromas. Na cozinha o osmarim pode ser utilizado para temperar carnes de aves, porco, peixe e dar um sabor especial no arroz. A sálvia é indicada para aromatizar pratos ricos em gordura e facilitar a digestão, vai muito bem para temperar carne de boi, carneiro e cabrito. Em pequenas quantidades, as folhas frescas de ambas espécies podem condimentar e aromatizar saladas, molhos, queijos frescos temperados, azeite e vinagre. Quanto às propriedades medicinais, estudos mostraram que o óleo essencial extraído das folhas de osmarim possui ação anti-inflamatória e antioxidante. A sálvia é citada na literatura científica com propriedades antimicrobiana, antioxidante e com potencial terapêutico no tratamento da agitação de pacientes portadores de Alzheimer.
Osmarim e sálvia cultivados em canteiro na horta, juntamente com outras hortaliças.
Cuidados: Devido ao aroma e sabor marcantes tanto da sálvia quanto do osmarim, não é recomendável que sejam utilizados juntos, nem em demasia. Para não estragar o prato, o ideal é adicionar pequenas quantidades, especialmente, a quem ainda não está familiarizado com esses conimentos ou com sabores amargos. A mesma recomendação vale para a utilização do óleo essencial que é extremamente concentrado: sempre utilizar com parcimônia.

Aspectos agronômicos: Podem ser cultivados na horta juntamente com outros temperos e são ótimos para quem tem pouco espaço, porque se adaptam bem ao cultivo em vasos. As mudas podem ser adquiridas no comércio ou feitas por meio de estaca, daquela planta no quintal da vó. Escolha ramos saudáveis e medianos para retirar as estacas; quanto mais velhos os ramos, mais difícil de enraizar e formar muda e quando muito jovens e tenros, desidratam e morrem mais facilmente. O cultivo deve ser feito em solos leves e bem drenados, não suportam água em excesso. Toleram frio e temperaturas mais elevadas e podem ser cultivadas em todos o Brasil. 
Sálvia e osmarim que cultivo em vasos na minha hortinha. 
Ao montar sua horta em vasos (as espécies devem ficar em vasos separados), dê preferência à vasos grandes (20-30 cm de profundidade) e não esqueça de colocar uma boa camada de material drenante no fundo (pedras, cacos de telha ou tijolo, argila expandida, entre outros), isso vai ajudar a não acumular água em excesso e apodrecer as raízes das plantas. Sempre que for colher folhas ou ramos para uso, retire as pontas dos galhos, pois além de serem mais tenros, regulam o crescimento da planta e estimulam a brotação, deixando-as mais baixinhas e arredondadas, conferindo, inclusive, um aspecto ornamental à sua horta.

Bibliografia consultada

AKHONDZADEH, S., et al. Salvia officinalis extract in the treatment of patients with mild to moderate Alzheimer's disease: a double blind, randomized and placebo‐controlled trial. Journal of clinical pharmacy and therapeutics, 28(1), 53-59, 2003.

NGV. Especias: todo el aroma de la cocina. ISBN 978-3625-00461-5.

PEIRÓ, P.S. et al. Monográfico de Helicrhysum italicum y sus variedades. Medicina naturista, 3(2), 96-100, 2009.

RÍOS, J.L. Helichrysum italicum, una planta mediterránea con potencial terapéutico. Revista Fitoterapia, 13-20, 2008.

0 comentários:

Postar um comentário

Este blog foi criado com o objetivo de informar e entreter. Apresentar uma espécie vegetal seus usos, potencialidades e curiosidades, com informações mais detalhadas, para que as pessoas conheçam e contemplem a beleza de cada espécie.O conteúdo é destinado a toda comunidade e serão muito bem vindas, todas as colaborações daqueles que estejam dispostos a dividir seu conhecimento com quem tem sede de aprender sempre.