Marcela [Achyrocline satureioides (Lam.) DC.]

by 12:41:00 0 comentários


Quem já acordou cedo para colher marcela na sexta-feira santa? Eu já. Esta é uma prática comum nas comunidades de descendentes alemães e italianos do Sul do Brasil. Acredita-se que a marcela colhida nesta data específica e, antes do nascer do sol, tenha poderes de cura superiores àquelas colhidas em outras épocas do ano. A planta também é muito popular no Cerrado, onde é chamada de macela e é colhida nos meses de junho a agosto, no auge da estação seca. A planta também é chamada de macela-do-campo, macela-de-travesseiro, macelinha, carrapichinho-de-agulha e camomila nacional.

Descrição botânica: Planta da família Asteraceae, herbácea com até 1m de altura; caule, ramos e folhas cobertos por pelos esbranquiçados; folhas estreitas e alongadas, medindo 1,5cm de largura e até 15cm de comprimento; flores pequenas, amarelo-claras, em número de 5 a 10, reunidas em inflorescência terminal tipo capítulo; fruto tipo aquênio medindo até 0,5cm de comprimento.

Onde ocorre: É uma planta nativa, mas não endêmica do Brasil, onde ocorre naturalmente nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e no Nordeste (apenas no estado da Bahia). A planta pode ser encontrada na forma cultiva em quase todos os estados do País.

Usos: A marcela é planta medicinal de grande utilidade na medicina tradicional e na fitoterapia. As inflorescências colhidas e secas são utilizadas na forma de chá como sedativa, anti-inflamatória, antiespasmódica, no tratamento de desordens intestinais e dores estomacais. Estudos farmacológicos demonstraram que esta planta possui atividades antiespasmódica, anti-inflamatória, antimicrobiana, analgésica, sedativa, antisséptica e antioxidante. Também é utilizada em formulações cosméticas, a exemplo de xampus e cremes para os cabelos e hidratantes corporais. As inflorescências secas, pelo seu aroma suave e propriedades calmantes, são muito utilizadas como enchimento para travesseiros, almofadas e colchões para bebês. Os travesseirinhos de marcela são encontrados com facilidade em lojas e sites de produtos naturais.

Planta de marcela destacando-se na paisagem seca do Cerrado.
Aspectos agronômicos: A propagação da marcela pode ser feita por estaquia ou por meio de sementes. Pela facilidade de obtenção e manejo, recomenda-se optar pela propagação via sementes. A semeadura pode ser feita em bandejas contendo substrato composto de turfa, casca de arroz carbonizada e composto orgânico na proporção de 1:1:1 (v/v). Na ausência deste tipo de substrato, podem ser utilizadas outras misturas preparadas em casa, desde que sejam bem leves e proporcionem boa drenagem. A germinação ocorre em 4 a 5 dias e pode durar até 30 dias. Se necessário, efetuar o desbaste das plantas excedentes alguns dias após a germinação. As mudas estarão prontas para o cultivo em aproximadamente 70 dias. Embora a espécie adapte-se a uma variedade grande de climas e cresça naturalmente em solos degradados, quando o objetivo é comercial, o cultivo deve ser feito em solos pouco ácidos, ricos em matéria orgânica e nutrientes. Atualmente é possível efetuar o cultivo comercial, no entanto a maior parte da marcela consumida no Brasil ainda é obtida por meio do extrativismo em populações naturais.


Referências

Achyrocline in Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: Link. Acesso em: 04 Ago. 2016.

BARATA, L.E.S. et al. Plantas Medicinais Brasileiras. I. Achyrocline satureioides (Lam.) DC.(Macela). Revista Fitos Eletrônica, v. 4, n. 01, p. 120-125, 2013.

MARQUES, F.C.; BARROS, I.B.I. Crescimento inicial de marcela (Achyrocline satureioides) em ambiente protegido. Ciência Rural, Santa Maria, v.31, n.3, p.517-518, 2001.

0 comentários:

Postar um comentário

Este blog foi criado com o objetivo de informar e entreter. Apresentar uma espécie vegetal seus usos, potencialidades e curiosidades, com informações mais detalhadas, para que as pessoas conheçam e contemplem a beleza de cada espécie.O conteúdo é destinado a toda comunidade e serão muito bem vindas, todas as colaborações daqueles que estejam dispostos a dividir seu conhecimento com quem tem sede de aprender sempre.